Perdoa

Perdoa da boca par fora é maltrata o coração. E não ter libertação.
Mas se perdoa por dento. É ter libertação das magas do coração.

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Festa da Boa Morte no Recôncavo


Festa da Boa Morte é a atração da semana no Recôncavo
09/08/2010
A cidade de Cachoeira, a 109 km de Salvador, será palco da tradicional festa da Irmandade de Nossa Senhora da Boa Morte, a partir da próxima sexta-feira (13), com o ponto alto no domingo (15) e encerramento na terça-feira (17). A manifestação, que une cultos católicos com manifestações de matriz africana, é considerada patrimônio nacional e recebe milhares de visitantes para acompanhar o ritual das irmãs. A programação inclui cortejo anunciando a morte de Maria, missas em memória das irmãs falecidas, sentinela, missa simbólica de corpo presente e procissão.

De todas as festas religiosas da Bahia, a da Irmandade da Boa Morte é considerada a mais importante, mais negra e com maior volume de sincretismo e força feminina, no estado. Nascida em meio às senzalas, há mais de 150 anos, a Irmandade de Nossa Senhora da Boa Morte tinha o objetivo de alforriar negros, ou facilitar-lhes a fuga. A força do grupo se mantém até hoje através das mãos de quem o conduz: são 23 mulheres afrodescendentes com idade superior a 50 anos.

De acordo com Valmir Pereira, porta-voz da Irmandade, a festa tem grande representatividade para a cultura do estado e da cidade de Cachoeira. “A festa já tem 240 anos e é importante porque veio do movimento abolicionista e reflete a liberdade das mulheres negras para se expressarem, cultuarem, e serem vistas. É o troféu de resistência dessas mulheres e se tornou a maior festa de interação, porque atrai gente de todos os lugares” disse Valmir Pereira. E o encanto do público e dos fiéis não se resume à importância histórica da festa.

As roupas utilizadas pelas irmãs da Boa Morte são um atrativo à parte durante os festejos. O luto pelas irmãs já falecidas é representado pelo branco. E a vestimenta para o ritual simbólico do sepultamento de Nossa Senhora é composta por saia preta, blusa branca bordada e lenço branco no cabelo. Um xale de veludo, com faces vermelha e preta, é utilizado durante o percurso, com o lado preto voltado para fora. Já na procissão de Assunção de Nossa Senhora da Glória, a face vermelha fica à mostra, em meio à beca, às joias e aos orixás.

Ritual

A festa sagrada tem rituais estabelecidos e seguidos à risca há mais de 150 anos pelas mulheres da Irmandade. No primeiro dia, as irmãs fazem o cortejo com o esquife de Nossa Senhora saindo da Capela D’Ajuda em direção à capela da Irmandade. Lá, é celebrada uma missa em memória das almas das irmãs falecidas, seguida da sentinela e da Ceia Branca, composta por pão, vinho, peixes e frutos do mar – sem dendê.

No segundo dia, uma missa simbólica de corpo presente abre a programação, seguida da procissão de enterro de Nossa Senhora da Boa Morte. A parte religiosa se encerra no terceiro dia da festa, com missa de Assunção de Nossa Senhora da Glória e procissão percorrendo as ruas da cidade. Logo depois, as irmãs almoçam com convidados na sede da Irmandade e a programação é fechada com samba-de-roda no Largo D’Ajuda.

O lado profano da Boa Morte se dá nos dois últimos dias, este ano 16 e 17 de agosto quando são servidos um cozido e caruru, acompanhados de samba-de-roda, no Largo D’Ajuda. De acordo com o historiador Manoel Passos, a festa é uma confraria que mantém toda uma tradição religiosa e política. “Esta é uma manifestação sincrética, e é a única Irmandade no Brasil que mantém a tradição. Além disso, a festa da Irmandade da Boa Morte é geradora de fluxo turístico; foi ela quem inspirou o Turismo Étnico e atrai turistas internos e externos.”, explica o historiador.

Público

Há mais de 15 décadas, a festa ainda atrai visitantes de toda parte, além de ser um atrativo para profissionais do turismo. Este ano, a expectativa é de que cinco a seis mil acompanhem os festejos da Irmandade de Nossa Senhora da Boa Morte. A funcionária pública Suiá Couto de Castro, 28 anos, foi duas vezes à festa quando fazia curso para guias de turismo. “Achei a parte visual da festa muito bonita, além de ser muito interessante, porque é uma cultura que existe há mais de 100 anos”, diz.

O estudante Leonardo Barbosa participou da festa e pretende acompanhar novamente. "Olhando por um viés econômico e cultural, é uma manifestação de extrema importância por conta , principalmente hoje, do turismo que existe em sua volta, dando ao estado mais uma possibilidade de desenvolvimento. A festa é linda e não tem como dizer o contrario", comenta.

Serviço:
Festa da Irmandade de Nossa Senhora da Boa Morte
Local: Cachoeira – 109 km de Salvador
Data: 13 a 17 de agosto de 2010
Horário:
Sexta-feira (13) – A partir das 18h
Sábado (14) – A partir das 19h
Domingo (15) – A partir das 9h
Segunda-feira (16) e terça-feira (17) – A partir das 20h

Como chegar: Sair de Salvador pela BR-324, por 59 Km, até o entroncamento da BA-026, percorrendo-se mais 11 km até Santo Amaro. A partir dessa cidade, siga para Cachoeira pela mesma BA-026, por mais 38 Km. De ônibus, é possível ir pela empresa Santana + 55 71 3450 -4951 -, a partir do Terminal Rodoviário de Salvador.

Onde ficar:
- Pousada D’Ajuda
Largo D’Ajuda, s/n
Tel.: (75) 3425-5287

- Hotel Fazenda Villa Rial
Ladeira do Padre Inácio, s/n
Tel.: (75) 3425-3602

- Santo Antônio Hotel
Praça Maciel, nº 01
Tel.: (75) 3425-1402

Onde comer:
- Restaurante Recanto da Maga
Rua Ana Néri, 42.
Tel.: (75) 3425-2764

- Restaurante A Confraria
Rua Inocêncio Boaventura, s/n
Tel.: (75) 3425-1716

- Restaurante Beira Rio
Rua Manoel Paulo Filho, 19
Tel.: (75) 3425-5050

Um comentário:

  1. Oi! Tem um presente pra você em meu blog!

    http://devaneiosdeumamulher.blogspot.com/

    O Premio Dardos tem a intenção de promover a confraternização entre os blogueiros, uma forma de demonstrar o carinho e reconhecimento por um trabalho que agregue valor a Web.

    Foram, de minha participação, 10 blogs contemplados, inclusive o seu. A participação não é obrigatória, mas fica aqui expressa a minha menção ao seu mérito.

    Abraço!

    ResponderExcluir